Tem tempo? Deixe-se «ir».

San Carlos de Bariloche, Patagónia - a cidade mais brasileira da belíssima Argentina

A cidade mais brasileira da Argentia.

 San Carlos de Bariloche (Argentina) na Primavera.

Principal destino turístico da Patagónia, a cidade argentina sabe exibir a imponência de sua paisagem com conforto e segurança, em teleféricos, passeios de barco e actividades ao ar livre como passeios de bicicleta, cavalgadas e desportos radicais. Com temperaturas amenas, sem as roupas pesadas e o vento gelado e invernoso no rosto, o corpo do visitante relaxa e aproveita melhor o lugar. E que lugar. Por vezes, dependendo do mirante, a combinação de azul e verde parece irreal, de tão bonita.


No Inverno



Catamarãs aguardam turistas no Bosque de Arrayanes,
passeio tradicional que parte de Bariloche.

San Carlos de Bariloche (Argentina): Com suas belezas naturais e paisagens deslumbrantes, Bariloche é uma cidade emocionante, hospitaleira e romântica. Não falta o que fazer na cidade! Aprenda a esquiar na montanha de Cerro Catedral, diversão garantida para todas as idades! As famosas noites de Bariloche para os mais noctívagos. E para os mais caseiros uma lareira estalando, aquecendo o ambiente, acompanhado de um vinho ou um chocolate quente. Coberta de neve no Inverno, ou repleta de flores na Primavera. Bariloche é sempre uma óptima  escolha. Não me importaria nada de viver aqui.



Bariloche, cujo nome oficial é San Carlos de Bariloche, é uma cidade da Argentina, localizada na Província de Río Negro, junto à Cordilheira dos Andes na fronteira com o Chile. Está rodeada por lagos (Nahuel Huapi, Gutiérrez, Mascardi) e montanhas, como o Cerro Tronador (3354 m de altitude, na fronteira com o Chile), o Cerro Catedral (movimentada estação de esqui) e o Cerro López. Possui cerca de 130 mil habitantes.



HISTÓRIA

Existem evidências da existência de assentamentos indígenas à beira do Lago Nahuel Huapi e na zona hoje ocupada pela cidade de Bariloche, prévios a chegada dos colonizadores brancos. Em meados do século XVII e início do século XVIII, a zona foi objeto de viagens dos missionários do Chile, entre os que se contam estão os padres: Diego Rosales, Nicolás Mascardi, Felipe Laguna e Juan José Guillelmo. O primeiro homem branco que chegou à região vindo das regiões próximas ao Atlântico foi o Dr. Francisco Pascasio Moreno, que na época tinha 23 anos.

A fundação da cidade deu-se em 1895, quando um imigrante alemão, Karl (Carlos) Wierderhold, criou ali um armazém. Em 1902, tornou-se a cidade de San Carlos de Bariloche. Sua arquitetura, principalmente na área central, lembra a de cidades alemãs e austríacas.



GEOGRAFIA

Bariloche está situada numa micro-zona climática e de vegetação de floresta temperada. Seu clima é temperado, influenciado pela proximidade dos Andes, e suas florestas se mantêm graças à abundância de água dos grandes lagos glaciais, como o Nahuel Huapi. No inverno (junho a agosto), as temperaturas caem abaixo de zero e a maior quantidade de neve nas montanhas mais altas dá início à temporada de esqui. Afastando-se poucos quilômetros para leste da cidade, porém, o clima se torna mais seco, surgindo a fria estepe da Patagônia, com sua vegetação de gramíneas cada vez mais esparsas, até que a paisagem se torna a de deserto.



DESERTO

A principal atividade econômica de Bariloche é o turismo. Além das montanhas onde se podem praticar esqui e "snowboard" (Cerros Catedral e Tronador) destacam-se o Parque Nacional Nahuel Huapi, a travessia dos lagos andinos até o Chile, a Isla Victoria (no lago Nahuel Huapi), a região de El Bolsón (ao sul da cidade), a Colonia Suiza (em meio a bosques, na qual se situa um museu que conta a imigração suíça para a região) e os percursos turísticos chamados Circuito Chico e Circuito Grande, com paradas em vários pontos de onde se têm vistas panorâmicas dos bosques e montanhas ao redor da cidade. Seu comércio voltado para o turismo é principalmente de artigos de lã, couro e chocolates. Para os interessados em turismo de aventura, há opções de "rafting", cavalgadas, "parapente" e ciclismo de montanha.



TRASPORTES

A cidade tem um aeroporto, o Aeroporto Internacional Teniente Luis Candelaria que está equipado para receber jatos, e opera voos domésticos e internacionais para países vizinhos. Por rodovia, fica a 1638 km ao sul da capital argentina, Buenos Aires. Liga-se ao Chile por rodovia (cerca de 130 km até a fronteira, e mais 115 km até a cidade chilena de Osorno), havendo a opção, para turistas, de travessia em percursos alternados entre barcos e ônibus, num passeio conhecido como Cruce de Lagos, até Puerto Montt.

.

Ads 468x60px

Tecnologia do Blogger.